Aplicando arquétipos para pensar marcas

Consumir não é só uma necessidade, mas também é o que nos constitui enquanto seres sociais, já que todo bem material expressa um significado é por meio dele que se estabelecem os grupos sociais. O cliente não busca apenas a qualidade, mas também a construção da sua imagem social, para consolidá-la, o consumidor procura por empresas que estejam alinhadas aos seus valores que foram estabelecidos por meio dos arquétipos. De acordo com o Jung os arquétipos são as imagens primordiais que nos ensinam sobre a moral e a ética. Antes as imagens arquetípicas estavam nos mitos, na sociedade atual estão sobretudo nas marcas. Pensando nisso, Margaret Mark e Carol Pearson no livro “o Herói e o fora da lei” estabelecem 12 arquétipos de marca. Veja exemplo de três destes relacionados a marcas famosas:

 

O prestativo

O arquétipo do prestativo está ligado à empresas que trabalham com a autoestima e beleza, que buscam fazer da experiência de compra a mais incrível possível. Quando se fala no prestativo o produto vira mero coadjuvante, vender não está em foco e sim o bem estar do cliente.

Em meados de 2004 a empresa Dove reformulou sua marca e vem investindo em campanhas mais humanitárias, com o projeto “Dove pela autoestima” aumentou em 4 milhões suas vendas e em 2013 ganhou um Cannes. A indústria da beleza é extremamente cruel com as mulheres, fazendo-as buscarem padrões inalcançáveis, a Dove veio com um mote completamente contrário, trazendo corpos que jamais seriam vistos nessas campanhas, mas não ficou somente nas propagandas a marca tem um programa educacional que auxilia escolas a trabalharem a autoestima dos jovens e no site da empresa tem diversos textos sobre o tema.

 

O mago

No arquétipo do mago temos marcas que oferecem, o relaxamento e aguçam a imaginação, essas empresas fogem do óbvio, trabalham com aquilo que no mundo real seria praticamente impossível de acontecer.

As campanhas da empresa Red Bull trabalham com o imaginário e apesar da empresa patrocinar diversos atletas de esportes não convencionais (tais como walkeboard, kitesurf, skate, entre outros) o seu mote não é sobre ser o primeiro e sim sobre vencer os obstáculos. Aquela energia extra que faltava para completar as tarefas diárias e sair da rotina. A empresa também lançou uma embalagem promocional que vira um óculos de realidade virtual com vídeos 360º.

 

O amante

Empresas que usam o arquétipo do amante passam a imagem de exclusividade e bem-estar, os clientes que consomem essas marcas querem se sentir únicos. Neste grupo temos empresas de alimentos e cosméticos.

A empresa Nestlé ganhou o prêmio “Top de Marketing 2007” devido ao seu relacionamento com os consumidores, a linha Marca Ideal comercializada especialmente nas regiões Nordeste e Norte, mescla prazer e alimentação saudável com baixo custo, são produtos enriquecidos com Cálcio, Ferro e Vitaminas A, C e D. O arquétipo do amante trabalha o amor e o prazer em seus vários níveis, como podemos notar no próprio logo da marca, que remete a um coração na cor vermelha constantemente associada ao amor, para exemplificar melhor, vejamos a seguir essa propaganda sobre a pureza do amor materno.

https://www.youtube.com/watch?v=betn8PVTMNY

Venha debater o tema conosco no curso Arquétipos e Personas na Comunicação, que acontecerá em 21 de outubro em São Paulo. O objetivo do curso é trabalhar a construção de buyer persona através do uso de arquétipos junguianos, para tal o aluno terá contato com os princípios básicos de arquétipos e mitos, o conceito de setênios na construção das persona e suas aplicações com ênfase nas mídias sociais.

postrelacionados

Tags:  ,   ,   ,   ,   ,   ,  

Comentários

comments

Deixe um comentário