E-Campanhas em tempos de redes digitais: Estudo de Caso de um Programa de Monitoramento Online das Eleições Municipais Brasileiras de 2016

Soube da novidade? A Editora IBPAD lançou mais um livro: Estudando Cultura e Comunicação com Mídias Sociais. Com um rico conteúdo sobre métodos de pesquisa em mídias sociais, incluindo análise textual em rede, etnografia digital, cartografia de controvérsias, mineração e raspagem de dados. São 20 capítulos com reflexões, aplicações e instruções para complementar ainda mais os seus estudos!

E um dos capítulos foi escrito pelos autores Sérgio Braga, Rafael Cardoso Sampaio, Márcio Cunha Carlomagno, Fabricia Vieira, Alzira Ester Angeli & Juan Francisco Arrom Suhurt. A equipe já publicou sobre o projeto MEME: E-Monitor Eleitoral no blog do IBPAD. O intuito é apresentar uma vasta discussão sobre campanha em meios digitais: Estudo de Caso de um Programa de Monitoramento Online das Eleições Municipais Brasileiras.

Este artigo composto pelos autores teve como objetivo apresentar opções de pesquisas que podem ser usadas em estudos sobre campanhas digitais nas mídias sociais, com destaque para os aplicativos fornecidos pelo próprio Facebook. Principalmente pela importância que as mídias sociais ganharam, nos anos recentes, na centralidade nas pesquisas.

É pontuado que as eleições em meios digitais podem fornecer respostas para muitas questões de pesquisa possíveis, de acordo com a própria natureza diversa dos estudos sobre campanhas eleitorais e a depender do interesse do investigador. E para aprofundar o estudo, os autores separaram em três grandes conjuntos as questões que usualmente são abordadas pela literatura, nomeadamente a de Ciência Política e de Comunicação Social: a) questões sobre presenças e audiências, b) questões sobre estratégias discursivas e c) questões sobre fenômenos políticos e outros aspectos sistêmicos.

Para exemplificar o estudo, foram aplicadas pesquisas para avaliar a diferença na presença online dos candidatos entre períodos eleitorais e não eleitorais. Assim como para pontuar o papel das “minorias barulhentas” e como elas podem superestimar medidas de popularidade online.

Confira o texto completo no nosso livro!

* indicates required

postrelacionados

Comentários

comments

Comentários (1)

Deixe um comentário