Ciência da Influência e mídias digitais na tomada de decisão

O estudo The Science of Influence, elaborado por Marcia W. DiStaso e Tina McCorkindale, teve o objetivo de analisar como as mídias digitais e as relações pessoais dos usuários social media influenciam suas decisões. Cerca de 1.783 pessoas entre as gerações Millennium, Geração X, Baby Boomers e Geração Silenciosa, responderam questionários para a produção deste estudo recentemente publicado no Institute for Public Relations (IPR).

A Professora e Diretora do College of Journalism and Communications (Universidade da Florida) Marcia DiStaso e a Dra. Tina McCorkindale, CEO e Presidente do IPR, decidiram explorar as influências nos segmentos de Viagens, Finanças, Varejo e Saúde. De acordo com os gráficos abaixo, o segmento com a maior porcentagem de influência é o de Viagens, descantando Saúde como o segmento mais representativo para a Geração Silenciosa.

Em relação ao tempo de uso das mídias digitais, 46% dos entrevistados disseram utilizá-las todos os dias e com alta frequência, sendo o facebook a plataforma mais citada como fonte de informação e entretenimento.

Outros dados enfatizados no estudo são relacionados às influências de familiares e amigos próximos, sendo a expressão “word of mouth” ou “boca-a-boca” um dos canais de influências mais valorizados. Como pode ser visto abaixo, em que o gráfico representa as respostas relacionadas às opiniões da família e amigos nas tomadas de decisões.

O estudo também levantou resultados de influências geradas por perfis com grande número de seguidores, celebridades e plataformas, a exemplo do aplicativo Yelp (criado para avaliações de estabelecimentos), identificado em análise posterior como a plataforma mais utilizada por usuários que buscam indicações de viagens e/ou locais.

Em conclusão, quando as fontes e os canais de influências são compreendidos, torna-se possível determinar as fontes de informações mais confiáveis, assim como as melhores saídas para segmentação de determinados públicos e/ou ações. Veja aqui este estudo e o infográfico completo.

postrelacionados

Comentários

comments

Deixe um comentário