O que é Programação ou Linguagem em R?

Quer conhecer ou ainda tem dúvidas sobre a programação em R? Leia abaixo algumas informações sobre este software e veja projetos desenvolvidos com ele.

O R é uma linguagem e ambiente para análise estatística e produção de gráficos, um projeto GNU semelhante a linguagem S, foi desenvolvido pelos estatísticos Ross Ihaka e Robert Gentleman na década de 90 quando precisavam utilizar programas pagos em seus projetos. R oferece uma grande variedade de estatísticas (modelagem linear e não-linear, testes estatísticos clássicos, análise de séries temporais, classificação, agrupamento, etc.) e técnicas gráficas extensíveis, que fornecem uma rota de código aberto para que haja participações entre programadores.

Um dos outros pontos fortes deste ambiente é a facilidade de produzir codificações com qualidade de publicação, incluindo símbolos matemáticos e fórmulas, quando necessário. É um software gratuito e funciona nas seguintes plataformas: UNIX e sistemas similares (incluindo FreeBSD e Linux), Windows e MacOS.

O ambiente:

O termo “ambiente” é usado para caracterizá-lo como um sistema totalmente planejado e coerente, ao invés de acumulação de ferramentas muito específicas e inflexíveis. O R se destaca por ser um conjunto integrado de instalações de software para manipulação de dados, cálculos e exibição gráfica. Este ambiente Inclui um mecanismo de armazenamento de dados, conjunto de operadores para cálculos em matrizes, coleta ampla e integrado de ferramentas intermediárias para as análises.

Aplicações:

Podendo ser facilmente estendida através dos diversos pacotes disponíveis, a linguagem R vem sendo utilizada em vários projetos e estudos. Veja abaixo algumas aplicações interessantes:

Capturando dados do Twitter com R
Este tutorial foi elaborado por Carlos Cinelli, um dos professores do curso de programação em R, para simular a extração e análise de dados do Twitter através do R:

Construindo mapas eleitorais com R e electionsBR
A partir do pacote electionsBR. que extrai dados do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, o professor Robert Mc Donnell ensina como criar mapas, de acordo com a estruturação dos dados:

R para Biologia
Nestes exemplos o professor Robert mostra como o R pode ser aplicado em estudos e projetos da área de Biologia:

Medidas de Risco em Análise de Redes Financeiras
O professor Carlos Cinelli apresentou o seu pacote “Network Risk Measures” criado para medir riscos em análise de redes financeiras:

Outros softwares são criados com base em R, a exemplo o Iramuteq, que é utilizado para analisar discursos, questionários, entre outras funções, como a análise de contexto e vocabulário.

Indicação bibliográfica:
Para você que deseja ir mais a fundo no conhecimento, aqui consta uma lista com 5 livros que abordam os conceitos e teorias sobre R.

 

Fonte e referência
What is R:
https://www.r-project.org/about.html

Conheça o curso presencial sobre Ciência de Dados com R com turmas previstas para acontecer em São Paulo e Brasília!

Ciência de Dados com R – Introdução. Livro gratuito da Editora IBPAD, em formatos ebook em bookdown, consolida o que nossos professores vieram ensinando em nosso curso introdutório de R nos últimos anos. Foi construído com a nossa experiência didática em dezenas de turmas em todo o Brasil com bons exemplos e será constantemente melhorado com a opinião e sugestões dos nossos alunos.

Autores: Paulo Felipe OliveiraSaulo Guerra e Robert McDonnell

postrelacionados

Comentários

comments

Comentários (5)

  1. […] Você já conhece a linguagem R? É um software de análise de dados gratuito e open source: isso quer dizer que os profissionais estão investindo seu tempo e conhecimento para desenvolver pacotes cada vez melhores. É utilizado também como base em vários softwares de estatística e análise de dados (como IramuteQ), com a disponibilidade de pacotes que permitem análises e visualizações de grande sofisticação. Atualmente tem se expandido fora do ambiente acadêmico, e é utilizado para criar um ambiente computacional programável, intuitivo, portátil e aberto, pode-se ser aplicável aos problemas mais complexos, bem como análises “rotineiras”. […]

Deixe um comentário