Geocomunicações: tendências do mercado brasileiro de cartografia

Você já deve ter se perguntado um dia “Quando o sinal da Internet e do GPS passaram a se conectar?” ou até “Quem produz os mapas geográficos que utilizamos em tantos aplicativos?”.
Para começar a responder estas e outras questões é necessário recorrer aos conceitos e as categorias de diferentes ciências: a Geografia, a Computação e a Comunicação.
Juntos essa base teórica e metodológica converge atualmente no campo científico chamado Geocomunicações, um termo ainda pouco explorado entre pesquisas brasileiras e com inúmeras possibilidades para o profissional que deseje investir nesse novo nicho que tende a crescer a partir de 2020.
O mercado dos mapas online obteve destaque em 2019 no site especializado Geoawesomeness, que comenta as principais tendências do mundo (incluindo o Brasil) para o consumo e a produção de geodados nos mais diversos setores da sociedade em países da Europa, Ásia e das Américas.
No contexto do Brasil, um dos mais extensos territórios do mundo, a cartografia promete ser um crescente área de empregos, para o campo e a para a cidade, de técnicos a analistas, de consultores a professores.
Segundo o aplicativo de vagas de emprego InfoJobs, temos dois exemplos de vagas para o mercado das Geocomunicações: Motorista Mapeador de Vias e Técnico de Agrimensura, ambos com média salarial mensal de R$ 1.800,00 – vale ressaltar que são salários propostos para o estado de Sergipe, na região Nordeste.

A sua aposta é empreender e inovar? Um(a) profissional técnico(a) ou analista inovador(a) em Geocomunicações precisa garantir conhecimento e habilidades novas que serão adquiridas ao longo do curso de Produção de Cartografias e Análise de Mapas Online. Confira mais aqui. Lançamento em breve!

postrelacionados

Comentários

comments

Deixe um comentário