O trabalho de pesquisa linguística, um desafio digno de Sherlock Holmes

Quem trabalha com língua, seja ela materna ou estrangeira, seja na forma de ensino, de aprendizagem, de análise linguística em redes sociais, sabe que surpresas são recorrentes e que, por vezes, nos deixam literalmente perdidos. Verificamos que, muitas das coisas que aprendemos na escola ou em cursos de idiomas, simplesmente não fazem sentido ao nos confrontarmos com a língua em uso, utilizada pelos falantes para fazer coisas do cotidiano, para viver em sociedade. Já parou para pensar o porquê de ser tão legal aprender inglês assistindo séries de TV? Simplesmente porque elas mostram pessoas vivendo e interagindo no mundo.

Se observarmos bem, parece que nem todo o aparato didático é capaz de domar essa criatura tão selvagem e surpreendente chamada língua, que deu início à primeira revolução do conhecimento milhões de anos antes do advento da revolução cibernética. Entretanto, apesar da natureza peculiar da língua – de qualquer uma delas – podemos contar com uma visão que faz mais sentido, por vezes, que listas, tabelas, compêndios gramaticais, etc.: a língua segue uma ordem probabilística, não é tão desordenada quanto parece. Dessa forma, muita coisa é possível na língua, mas não é provável. A forma ‘vosmecê’ é possível na língua portuguesa, mas não é provável. Quantas vezes você vê essa forma em textos impressos e eletrônicos do dia a dia?  Quantos tweets, comentários no Facebook ou no Instagram mencionam essa palavra? Deixando o lado histórico de lado, ninguém mais usa essa forma- e daí a razão de ela ser pouco provável. Ela não reflete a sociedade atual, as pessoas não utilizam mais essa forma linguística para marcarem o seu lugar no mundo e nas práticas sociais.

Já que falamos em uma visão probabilística da língua, é necessário pensar em como acessá-la e trabalhar com a língua em uso. Para esse fim, temos a Linguística de Corpus[1] e seus corpora[2] eletrônicos que nos ajudam nessa tarefa, oferecendo possibilidades de pesquisa de itens linguísticos diversos, a probabilidade de ocorrência, os contextos de ocorrência desses itens, suas combinações mais recorrentes (colocações) e muito mais. Além disso, também contamos com as ferramentas de corpora, como o Voyant Tools[3] que nos dá condições de analisarmos os nossos próprios corpora, coletados para fins de estudo, como, por exemplo, um corpus de tweets sobre os comentários realizados acerca dos candidatos à próxima eleição presidencial.

O trabalho com a Linguística de Corpus, seja no ensino, na aprendizagem, no trabalho de comunicadores e analistas de redes sociais, além de otimizar as pesquisas, auxilia o pesquisador a sair do perigoso campo do ‘achismo’ e contar com dados reais e válidos.

Um outro ponto a considerar, e que se liga ao trabalho com a Linguística de Corpus, é a mudança de paradigma da sociedade contemporânea, pois passamos da sociedade de produção em massa para a sociedade do conhecimento. Matéria-prima, capital e trabalho estão em segundo plano hoje, deixando o papel principal para os processos de aquisição do conhecimento e o próprio conhecimento. No entanto, o volume de informações a ser transformado em conhecimento é descomunal, daí ser necessário desenvolvermos uma habilidade de ‘Sherlock Holmes’, de pesquisa, de análise de dados que encontramos na rede.

Na escola, não fomos – e ainda não somos – preparados para agirmos como pesquisadores, para desconfiarmos, compararmos, analisarmos dados.  Entretanto, a sociedade do trabalho atual nos cobrará cada vez mais a capacidade de buscarmos e selecionarmos informações relevantes e as ferramentas de corpora podem nos auxiliar nessa tarefa. Que tal enfrentar o desafio de se tornar um detetive, um pesquisador da língua?

[1] Área da Linguística que trabalha com a coleta e análise de corpus/corpora. Ela lida com dados linguísticos produzidos por falantes reais.

[1] Plural de corpus– um conjunto de dados linguísticos pertencentes ao uso oral ou escrito da língua e que podem ser processados por computador.

[1] Acessível em: https://voyant-tools.org/

Dê uma olhada em nosso curso Linguística de Corpus para comunicadores e pesquisadores de mercado e aprenda muita coisa interessante para o seu trabalho de pesquisa linguística!

postrelacionados

Comentários

comments

Deixe um comentário