Alckmin é o candidato que mais publica Iniciativas no Instagram

Engana-se quem pensa que a corrida presidencial ainda não começou. Embora o horário eleitoral (maior espaço de comunicação para políticos brasileiros na mídia, TV e rádio) só comece oficialmente no dia 31 de agosto, vários pré-candidatos já trabalham arduamente na construção de sua imagem e diálogo com seu público através de plataformas de mídias sociais.

No Instagram, os presidenciáveis utilizam-se de um amplo aparato imagético (e audiovisual) para auxiliá-los na construção de suas marcas como políticos. Cada publicação realizada segue uma linha editorial que comunica aos seus seguidores (e, provavelmente, aos seus eleitores) quais são suas bandeiras, seus esforços, suas prioridades, etc. Geraldo Alckmin, por exemplo, prioriza imagens de realizações profissionais; enquanto Bolsonaro é mais direto quanto à campanha e Lula trabalha sua popularidade de forma mais “humana”.

É importante levar em consideração, entretanto, o contexto dessas interpretações: Alckmin tem um trabalho mais forte com iniciativas devido à sua atuação como governador de SP; a mobilização popular de Lula é explorada principalmente devido à condenação do ex-presidente. Essas e outras descobertas foram realizadas pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados no relatório EM BUSCA DO MELHOR ÂNGULO: a imagem dos presidenciáveis no Instagram – uma análise quanti-qualitativa com inteligência artificial.

Neste estudo de caso, foram analisadas todas as imagens e vídeos publicadas em 2018 nos perfis do Instagram de cinco pré-candidatos: Lula, Jair Bolsonaro, Marina Silva, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin. Tendo em mente o Instagram como plataforma visual, o olhar foi direcionado ao aparato imagético de cada pré-candidato. Com o auxílio de técnicas de inteligência artificial, foi possível identificar as principais linhas editoriais dos presidenciáveis, quais e quem possuem melhores resultados e como se apresentam quanto a formatos e temáticas.

Faça download do material

* campo obrigatório

postrelacionados

Comentários

comments

Deixe um comentário